Guitarra

Fevereiro 26, 2008

 

guitarra.jpg

A guitarra é da família dos instrumentos de cordas. Em Portugal o músico que toca guitarra chama-se guitarrista e no Brasil chama-se violinista.

A guitarra é um instrumento normalmente com o formato de um oito e um braço por onde passam as cordas (entre 4 e oito) que quando tensionadas permitem ao executante controlar a altura do som da nota produzida.

Texto baseado na «wikipédia»

Tiago Correia G3

Anúncios

Congas

Fevereiro 19, 2008

 

congas.jpg

A Conga é um instrumento musical da família da percussão de origem cubana que tem um som médio grave. Os movimentos para execução de qualquer toque acontecem na articulação do pulso.

A Conga é também o nome de um popular estilo musical latino-americano. Depois de ter nascido como um ritmo para se brincar nas ruas de Cuba, como uma espécie de Carnaval, a conga ficou conhecida nos Estados Unidos como dança de salão. Após conhecer grande divulgação nos anos quarenta, o estilo caiu num certo esquecimento.

Conga também é um nome de uma famosa canção da banda Miami Sound Machine (da cantora cubana radicada nos E.U.A. Gloria Estefan), cantada em inglês.

Texto adaptado da «Wikipedia»

Ana Sofia e Bruna Daniela, G2


A Trompa

Fevereiro 15, 2008

trompa.jpg

A trompa é um instrumento de sopro da família dos metais. Consiste num tubo metálico de 3,7 metros de comprimento,

Ligeiramente cónico, com um bocal numa das extremidades e uma campânula (ou pavilhão) na outra, enrolado várias vezes sobre si mesmo como uma mangueira, e munido de três ou quatro chaves, de acordo com o modelo. O Timbre da trompa é rico em harmónicos, assemelhando-se muito à voz humana.As trompas aparecem nas 10 últimas sinfonias de Haydn e Mozart, em todas as 9 de Beethoven, nas 4 de Schumann, nas 4 de Brahms, nas 6 de Tchaikovsky, e nas 9 completas de Mahler.

Texto adaptado da «Wikipedia»

Tiago Gomes, G7


A Zabumba

Fevereiro 11, 2008

zabumba.jpg

A Zabumba é um tambor confeccionado de pranchas de madeira coladas com veios alternados ou metal, no formato de caixas cilíndricas. Este instrumento pode ser de médias ou grandes dimensões e a sua sonoridade é grave. É tocado ou percutido por varetas, macetas ou baquetas, na superfície com uma ou duas membranas esticadas em uma das bases.. As zabumbas são muito usadas para marcar o ritmo em determinados géneros musicais. O som da zabumba é característico de todos os ritmos nordestinos do Brasil do genero forró, sendo os principais ritmos o baião, o xaxado e xote. O seu som grave marca o tempo forte da música. Marca também o contratempo devido à sua vareta chamada bacalhau, que bate na pele inferior.. A sua pele pode ser de couro ou de nylon.

Texto adaptado da «Wikipédia»

 


O Triângulo

Fevereiro 11, 2008

 

triangulo.jpg

O triângulo é um instrumento musical idiofone de percussão feito de metal e usado no folclore português e também em alguma música brasileira, como o forró. Pode também ser incluído na secção de percussão de uma orquestra ou de uma banda de musica.

Normalmente é feito de ferro ou aço, mas podem ser encontrados em alumínio. O som do instrumento é obtido por percussão, através do movimento do bastão (batedor), que bate no triângulo em sincronia com a mão que o segura e determina o som aberto (com maior sustentação) ou fechado.

Texto retirado da «Wikipédia»

Flávio, G5


Top Secret Drum Corps

Fevereiro 8, 2008

 

tatoo.jpg

Top Secret Drum Corps é uma banda militar suíça e as suas apresentações, normalmente em festivais (tatoo) de bandas militares são marcadas por um belíssimo espectáculo rítmico e coreográfico. O rufar dos seus tambores é único e o som que produzem fantástico. Um espectáculo para os sentidos como podes verificar pelo vídeo.

 

 


O Contrabaixo

Fevereiro 7, 2008

 

contrabaixo.jpg

O contrabaixo é um cordofone tocado ao friccionar um arco de crina contra as cordas ou ainda pinçando-as com os dedos (pizzicato). Dentre as cordas da orquestra, é o instrumento maior e de registro mais grave por isso situa-se mais comumente na lateral da orquestra e em quantidades razoáveis.

Na orquestra o contrabaixo, pelo seu registro extremamente grave, raramente possui uma função solística. Sua função é principalmente a de preenchimento dos graves e de dar coesão à harmonia. Muitas vezes, são dedicadas ao baixo melodias paralelas à melodia principal.

No jazz seu uso rítmico é profundamente explorado, por exemplo, com o walking bass. Nesse estilo é predominante a técnica do pizzicato.

Em diversos estilos de música popular do século XX, é comum a utilização do baixo eléctrico em vez do contrabaixo tradicional.

Texto retirado da «wikipedia»

João Lemos, G 6