Dica Netsegura: Segurança nas mensagens (MSN)

Junho 2, 2008

Comunicar através de um programa de mensagens instantâneas (como o Windows Messenger – MSN) tem os mesmos riscos de segurança e de privacidade que o correio electrónico, mas existem algumas medidas de segurança mais específicas que deves adoptar.

Sê cuidadoso quando crias um nome de ecrã.

Todos os programas de mensagens instantâneas pedem para criar um nome de ecrã, que é semelhante a um endereço de correio electrónico. O teu nome de ecrã não deve fornecer ou mencionar informações pessoais. Por exemplo, utiliza um apelido como Fãdefutebol em vez de BragaJoana.

Cria uma barreira contra mensagens instantâneas indesejadas.

Não indiques o teu nome de ecrã ou endereço de correio electrónico em áreas públicas, nem os dês a estranhos.

Nunca forneças informações pessoais.

Quando conversas por mensagens instantâneas nunca forneças dados pessoais, números de telefone ou palavras-passe.

Comunica apenas com pessoas que estão na tua lista de contactos ou de amigos.

Nunca abras imagens, não transfiras ficheiros, nem cliques em hiperligações existentes em mensagens de pessoas que não conheces. Se tentarem enviar-te ficheiros, fecha a mensagem instantânea.

Se utilizares um computador público, nunca selecciones a funcionalidade que permite iniciar sessão automaticamente. Caso o faças, as pessoas que utilizam esse computador depois de ti poderão ver e utilizar o teu nome de ecrã para iniciar sessão.

Quando não estás disponível para receber mensagens, tem cuidado com a forma como exibes essa informação a outros utilizadores. Por exemplo, talvez não queiras que todos os utilizadores da tua lista de contactos saibam que estás “Ausente para almoço.”

Texto retirado daqui


Dica Netsegura: Faz transferências em segurança

Maio 26, 2008

Podes pensar que o teu computador está bem preparado para os desafios de segurança quando navegas na Internet. Na verdade, não há nenhuma tecnologia, por mais avançada que seja, que possa proteger o teu computador contra todos os perigos. É, por isso, necessário saberes bem o que estás a fazer quando o assunto é Internet. Assim, antes de clicares num anexo (ou hiperligação) de uma mensagem de correio electrónico ou de uma mensagem instantânea, antes de transferires um ficheiro de um sítio Web ou antes de partilhares ficheiros com computadores que não conheces, lembra-te destas sugestões :

  1. Faz uma pausa antes de abrires ficheiros anexos ou clicares em hiperligações.
  2. Faz transferências apenas de sítios fidedignos.
  3. Respeita a legislação em vigor.
  4. Instala e usa os programas de partilha de ficheiros com cautela.

Todas as dicas sobre este assunto aqui


Dica Netsegura: 3 Regras que nunca deves esquecer

Maio 19, 2008

Quando navegas na Internet deves sempre ter em atenção algumas medidas de segurança para evitares riscos.

Há 3 regras fundamentais que nunca podes esquecer:

Nunca reveles:

O teu nome
O número de telefone
O teu endereço
As palavras-passe
Ou quaisquer outras informações pessoais, mesmo que estas te sejam pedidas nos sítios Web que visitas.
Se algo que estás a ler ou a ver no computador te fizer sentir pouco à vontade, desliga-o.
Nunca aceites encontrares-te pessoalmente com alguém que conheceste online.

Se quiseres, afixa estas regras básicas perto do teu computador para que nunca as esqueças!


Visual Kei

Maio 19, 2008

O Visual Kei é um tipo de música japonês que surgiu por volta da década de 1980.

Este movimento (ou tipo) consiste na mistura de outros, tais como: heavy metal, glam rock, hard rock, punk rock, pós-punk e death rock. Os instrumentos típicos são: a voz, a guitarra, o baixo, a bateria e o sintonizador sendo também por vezes utilizados o violino, o violoncelo ou o piano. O que caracteriza e distingue o Visual Kei dos outros tipos de música é o estilo dos seus artistas que na maior parte das situações são bastante extravagantes por isso, a musica anda sempre ao lado da imagem e vice-versa.

Bandas conhecidas de Visual kei:

– X Japan

– D’eslanger

– Back-Tick

– Kamaitchi

– Color

Bandas actuais conhecidas:

– The GazettE

– Moi dix Móis

– D’espairsRay

– BLOOD

– Kagerou

– Onmyo – Za

– Nightmare

Paula Barbosa e Marina Pereira, G1


Beatbox

Abril 28, 2008

O beatbox consiste na arte de reproduzir sons de bateria com a voz, boca e cavidade nasal. Também envolve o canto, simulação de cornetas, cordas e outros instrumentos musicais, para além de outros efeitos sonoros.

Texto adaptado da «Wikipedia»


Violoncelo

Abril 3, 2008

 

violoncelo2.jpg

O violoncelo, é um instrumento da família dos instrumentos de corda. Possui quatro cordas e distingue-se dos outros instrumentos pelo seu tamanho bastante volumoso, sendo necessário apoiar-se no chão por meio de uma haste de metal que este instrumento possui na sua extremidade chamado espigão. Para tocá-lo, o músico deve estar sentado, com o instrumento entre os joelhos.

Tem uma sonoridade bastante expressiva, sendo conhecido como o “rei” dos instrumentos de cordas. As quatro cordas são afinadas como na viola, mas uma oitava mais grave As composições para violoncelo são escritas fundamentalmente na clave de Fá na quarta linha. O seu uso está mais presente na música erudita e as grandes orquestras utilizam entre oito e doze instrumentistas de violoncelo.

 

Texto adaptado da «Wikipedia»

Tiago Gomes, G7


Congas

Fevereiro 19, 2008

 

congas.jpg

A Conga é um instrumento musical da família da percussão de origem cubana que tem um som médio grave. Os movimentos para execução de qualquer toque acontecem na articulação do pulso.

A Conga é também o nome de um popular estilo musical latino-americano. Depois de ter nascido como um ritmo para se brincar nas ruas de Cuba, como uma espécie de Carnaval, a conga ficou conhecida nos Estados Unidos como dança de salão. Após conhecer grande divulgação nos anos quarenta, o estilo caiu num certo esquecimento.

Conga também é um nome de uma famosa canção da banda Miami Sound Machine (da cantora cubana radicada nos E.U.A. Gloria Estefan), cantada em inglês.

Texto adaptado da «Wikipedia»

Ana Sofia e Bruna Daniela, G2